Contamos com sua
parceria para
seguirmos em frente
Ano 22                                                                                                          Editado por Jomar Morais
 
BLOGUEIROS
do Planeta
Site de acolhimento e ação social do Sapiens
Wescley Gama
Acesse a programação e assine nosso canal > www.youtube.com/sapiensnatal
Arriverdeci, Roma!
Um périplo sentimental pela Cidade
Eterna com música e poesia
PLANETA*Zap
Para receber envie "Sim" e seu nome via Whatsapp:
(84) 99983-4178

Guto de Castro
Outro Olhar,
por Jomar Morais

Francisco
e a paz
LIVREIRO SAPIENS
Acesse o nosso acervo


tv sapiens
diálogo fraterno


Planeta Jota é um site independente com um olhar diferenciado sobre temas essenciais.

Se você gosta de nossos conteúdos, doe qualquer valor e ajude-nos a prosseguir com esse projeto iniciado há 22 anos.
A cada doação você pode solicitar um livro digital ou um fac-símile da seção Documento

Obrigado por sua colaboração.

TV SAPIENS
compartilhar
Atualização semanal
Aldenir Dantas
Jorge Braúna
 
15º DIA DE SILÊNCIO
NO SAPIENS | 25/11
Increva-se aqui

OUTRO OLHAR
por Jomar Morais
 
UM CERTO GIOVANNI
No Cristianismo, depois de Jesus, não há ninguém maior que Francisco.
Com sua mensagem universal e inclusiva e seu olhar transcendental sobre
todos os eventos da vida, ele é o laboratório vivo do ideal cristão
 
Dediquei meu livro Viver - Outro olhar sobre o amor, a dor e o prazer a Giovanni di Pietro di Bernardone. Chamei-o de amigo, pois é assim que o vejo em minha vida. Coloquei-o em meu tempo, pois entendo serem atuais e, sobretudo, necessárias, a sua vida e suas idéias. Entre centenas de pessoas que, até agora, congratularam-se comigo, apenas quatro demonstraram conhecer o estranho personagem de minha dedicatória, uma forma inédita de homenagear Francisco de Assis, o santo cuja morte rememoramos ontem.

Giovanni é o nome de batismo do jovem filho do comerciante Pietro di Bernardone (daí o sobrenome), de Assis, Itália, que, tomado de súbita “loucura”, revoluciona a própria vida e enfrenta, com a sua coragem terna, o poder onipresente do papado para firmar o seu direito de viver e pregar a essência da mensagem cristã, sufocada nas estruturas religiosas e no egoísmo manipulador de seus dirigentes e burocratas. E foi a Giovanni, o homem como qualquer um de nós, passível de enlouquecer no amor e mudar o mundo - em vez da imagem do santo canônico, reabsorvida e manipulada pelas estruturas - que eu quis prestar minha singela homenagem.

No Cristianismo, depois de Jesus, não há ninguém maior que Francisco. Com sua mensagem universal e inclusiva e seu olhar transcendental sobre todos os eventos da vida, ele é o laboratório vivo no qual se comprova a viabilidade do ideal cristão e sua força transformadora sobre indivíduos e sociedades. Ele é a expressão da liberdade no amor se sobrepondo às amarras das formalidades e jogos de poder, um “anarquista” de Deus que se entrega por inteiro à vida e ao mistério onde ela ocorre.

Há quem diga que ainda falta aos historiadores debruçarem-se sobre os efeitos políticos da passagem de Francisco na Europa medieval e a influência de sua mensagem até à filosofia da Renascença. Para mim, basta a feliz definição de Dante Alighieri: “Francisco é uma luz que brilhou sobre o mundo”.

Sua visão positiva do homem e da criação, sua dedicação aos pobres, sua noção de teia universal na qual todos os seres se interligam, podendo assim ser chamados de irmãos, sua inabalável confiança e submissão à consciência cósmica, não se deixando escravizar em mecanismos de controle, fazem de Francisco um ícone do homem pleno e solidário.

Certamente que, se ele reaparecesse entre nós, seria de pronto hostilizado pela maioria inconsciente, à maneira dos soberbos cardeais e do próprio papa Inocêncio III, que viram no fradinho despojado e poético, declamando o Sermão do Monte, apenas um louco ingênuo e inconsequente. O mundo, porém, sempre carecerá de loucos para avançar e redimir-se.
[Publicado na edição de 04/10/11 do Novo Jornal]
Seu comentário
Nome:
Email:
Comentário:
Comentários