Contamos com 
a sua parceria
 
 
 
 

Planeta Jota é um site independente com olhar diferenciado sobre temas essenciais.

Se você gosta de nossos conteúdos, doe qualquer valor e ajude-nos a prosseguir com este projeto iniciado há 23 anos.
A cada doação você ganha um livro digital
do acervo do Livreiro Sapiens.

Obrigado por sua colaboração.

 
Ano 23                                                                                                              Editado por Jomar Morais
vitrine pj
tv sapiens



OUTRO OLHAR
por Jomar Morais
QUE VENHAM OS CUBANOS
A medicina é certamente o caso mais exemplar dessa degradação profissional, agravada por um detalhe: sua conexão a interesses econômicos colossais
A crise moral que consolidou, entre nós, a religião do dinheiro e a servidão do trabalho mercenário deletou do exercício profissional o senso de missão que no passado elevou algumas profissões ao nível de sacerdócio. À vala comum da competição predatória foi atirada a dignidade do ofício e do salário.

Os códigos de ética caducaram e hoje não significam mais que um componente ritualístico em solenidades de formaturas que dizem pouco sobre a capacidade técnica dos formados e menos ainda sobre o seu espírito de serviço.

Respeitadas as exceções, a medicina é certamente o caso mais exemplar dessa degradação, agravada por um detalhe singular: o fato de ela estar interligada a interesses econômicos colossais. Um destes, a indústria farmacêutica, a mais poderosa e lucrativa do mundo depois da indústria de armas, praticamente guia e recicla médicos e parte das escolas de medicina. E, sem pudor, desvirtua o exercício da profissão com a distribuição de jabás e favores que estão por trás de muitos diagnósticos e receituários de uma prática focada na doença e não na sua prevenção. Outro é o chamado plano de saúde, cuja massificação do atendimento faz do trabalho do médico mero esforço mecânico em uma linha de produção.

É óbvio que o funcionamento dessa engrenagem imoral e a ganância de profissionais aéticos pedem uma concentração de clientela e de negócios só possível nos centros urbanos superpovoados. Ao interior, as moscas ou as anomalias constatáveis de norte a sul.

Ou seria normal uma prefeitura pagar até 16 mil reais de salário e conceder até quatro meses de férias a um médico recém-formado em troca de um expediente de 40 horas semanais que muitos não cumprem, ou porque dedicam metade do tempo a clínicas particulares que se apressam a instalar nos municípios que os acolheram ou porque passam metade da semana nas capitais, faturando em seus consultórios?

Considerar essa realidade da medicina brasileira nos leva a entender o porquê da gritaria corporativista contra a anunciada importação de médicos cubanos para amenizar a escassez de profissionais nos grotões do Brasil.

Os cubanos alcançaram a excelência na área da saúde apostando em medicina preventiva e atendimento familiar. Isto é eficaz: o povo cubano é saudável. Seu modelo de medicina é elogiado pela Organização Mundial de Saúde e atrai estagiários da Europa e mesmo dos Estados Unidos. Mas...

O modelo cubano é barato. Dispensa tantas drogas e o uso abusivo de tecnologias. Seus médicos, bem assistidos pelo governo, tem casa e transporte, mas não tem ganhos financeiros estratosféricos. A medicina cubana ainda tem um traço missionário.

Trazer essa gente para aqui, pelo menos do ponto de vista das corporações, é um péssimo precedente.
[Publicado na edição de 14/05/13 do Novo Jornal]
Herverton Freitas, 14/05/13 - Jomar Morais põe o dedo na ferida no artigo de hoje no NovoJornal. Essa a diferença entre jornal e rede social.

Jomar Morais, 15/05/13 - Ferida crônica, meu caro Herverton. Abraço!

Marcos Antônio Bezerra, 15/05/13 -  Li no Planeta Jota e concordo com tudo que você escreveu, Jomar. (via Facebook)

Jomar Morais, 16/05/13 - Obrigado pela leitura e por seu qualificado endosso, caro Marcos Antônio.

Denilson Maia, 15/05/13 - Jomar, adorei o artigo. Alguns ex-alunos meus (hoje, estudantes de medicina) fizeram críticas a uma matéria que postei falando sobre esse medo dos médicos cubanos no Brasil. Como estudantes de medicina, já seguem o que dizem as corporações... (Via Facebook)

Jomar Morais, 16/05/13 - Caro Denilson, grato pela leitura e pela msg. A verdade é que o espírito de serviço deveria sempre ficar um degrau acima do espírito corporativo, mas o nosso egoísmo quase sempre não permite.

Thales Gleyson, 15/05/13 - Meu amigo e irmão querido, seu artigo é de uma sinceridade e lucidez riquíssimas!(via Facebook)

Jomar Morais, 16/05/13 - Caríssimo Thales, muito grato pela leitura do texto, seu compartilhamento e pelo incentivo generoso.

Herbênia Ferreira, 15/05/13 - Vou compartilhar. Artigo brilhante, lúcido e muito oportuno nesse momento! Valeu Jomar Morais!

Jomar Morais, 16/05/13 - Obrigado pela leitura e pela força, prezada Herbênia.
Matéria relacionada >>> Cuba, a sedutora do Caribe

Coluna  anterior >>> Mate o Buda!
Clique e deixe seu comentário no
Fórum dos Leitores do Planeta Jota